22 de agosto de 2007

Dificilmente existirá um homem que me compreenda
apenas os fragmentos...
sim, eu fragmentada
sou em parte entendida.
Alguns compreendem meu medo
outros, compreenderam meu sorriso,
Alguns leram meus poemas,
outros consideraram desmedidos, sem motivo
Existiram homens que me enxergaram
outros, apenas, desejaram
há ainda os que não desejam...mais como o desejo é algo eminente..
desejam...
Há quem tente compreender meu choro
Há os que não percebem as lágrimas...
Mais sei...
não existirá nenhum homem
que me verá por inteiro
assim como sou....
composta por todos os meus fragmentos...

17 de agosto de 2007

Brincando com os sons das palavras

enlaço com minhas coxas morenas
teus serenos ombros
estranho abraço
teço nos fios dos teus cabelos
secretas tranças
danço movendo a minha pélvis contra o teu pescoço
canso , repouso sobre a cama o torso umedecido
lanço no espaço silencioso e pálido
meus gemidos
mansos são teus movimentos.
Nálu Nogueira