21 de novembro de 2011

Ausência

Tudo em mim falta...
um espelho
um sorriso
um lugar!

Tudo em mim é falta
a cidade
a chuva
o olhar!

Mas o que mais me falta
é a vida
Leve...como deveria ser!

Um sopro
Um gozo
um bilhetinho escondido no bolso da calça...
andar descalça
dançar sem música!

Olhar o verde...e enxergar
a beleza que há
quando não me falta...

28 de junho de 2011

Há um mês sai de casa
Não fechei a porta
Não olhei em volta
Não achei resposta
Não pedi



Há um mês deixei o certo
Me joguei na estrada
Não medi
Me coloquei em suas mãos
E, sem saber seu nome

Sua história

Te amei

Há um mês mudei de mundo

Percebo cores
Aromas

Sabores

Tudo em volta tem sentido
Sem ter

Há um mês o que eu quero
Tem um nome

E ele bastaria para calar
toda a dor
Da vida inteira sem tê-lo


Quisera eu poder
Seguir esse caminho
Abandonar meus medos
Ah! Adoraváveis medos
Que há anos cultivo, em segredo

Quisera eu poder dizê-los
em voz alta
Para dissipar com o vento
o nó no meu peito


Há um mês me conheço
Há um mês me percebo...
Completamente entregue
Ao seu desejo.

28 de maio de 2011


Completamente inesperado
admiro seus olhos marejados
refletindo meu sorriso da descoberta.
Sua mão toca a minha de relance
meu corpo grita... arrepiado
Trêmula me aproximo um pouco mais
sinto o cheiro da sua respiração.
De repente o mundo para...a música para, onde estamos?
Nesse outro mundo...
Imagino o outono e as flores caindo
enfeitando o nosso caminho, antes mesmo de alcançarmos esse destino
desconhecido, querido, quem somos nós?
além de um imenso desejo pelo bem um do outro
a vontade de outra vida, outra sorte, outro gosto...único.
Se apenas uma vez foi suficiente...o que será de nós uma vida inteira?
Tantas perguntas ainda me faltam fazer, mas essa infantil certeza
que sempre me gabei não ter
me condena a só querer-te mais e mais
e a temer o abrir dos olhos ... após o lindo sonho.

20 de maio de 2011

...Chuva!

A culpa é do seu olhar...
ele me desconcerta, me rubra a pele do rosto, me faz desviar, devanear...
Depois de rodar a sala. Paro, num relance... penso nas infinitas possibilidades deste encontro.
Gosto!
Você bagunça tudo e eu vou.... seguro a vontade de tocar você, colocar minha mão na sua...deitar no seu colo, ser sua menina!
Me lembro com sorriso da sua forma direta, se expõe e me deixa com vontade de ficar...
mais um minuto, uma hora, uma vida, sob esse olhar.

8 de março de 2011

Sabe quando a gente acorda
ressaqueado de amor?
Inebriado de paixão?Sabe quando tudo que se quer...é nada querer?
é só saber mais...e mais...
a cor preferida, a música, se gosta de chuva, barulho de grilo, rede.
O que te faz bem e o que te faz mal?
Que sonho você ainda não sonhou...
Me conta de novo a história de como a gente se conheceu?
Fala de mansinho para eu saber que você quer me colocar no seu colo.
Me olha de novo com os olhos bobos...
famintos,
absolutamente encantados.
Que eu te conto meu segredo
meu medo
te apresento meu mundo...
e você decide
se desliga ou vive.


29 de janeiro de 2011

29

Quanto tempo alguém pode esperar sem se perder?
Me perguntei isso mais de vinte nove vezes
mais ou menos 72 meses, 2160 dias...e muitas, muitas horas,
Antes de rever seus olhos e o sorriso que eu só imaginava.
Ter você ali, tão perto...tão completo...tão esperado!
Foi difícil conter o impulso de me jogar.
Segurar o toque e as palavras guardadas, não ditas,
Ter que suportar o fato do mundo continuar girando.
Deitar no seu colo e sentir seu coração,
Seu toque suave,
Seus olhos me fotografando em macro.
A impressão que tive... sempre estive ali
É você onde eu queria estar.

17 de janeiro de 2011

Summer 78


É que eu só enxergo suas cores de perto.
Quando olho fixamente nos seus olhos
É quando eles apagam todas as suas palavras tolas
ditas ou escritas...
De longe o escuro me assalta
e o vazio toma conta de cada espaço
que eu pretenso ser meu.
Me aproximo e vejo todo o absurdo
dessa história sem começo, recomeço
Sem fim no meio..
E me restou a boca amarga
depois de todo meu doce derramado
Alheio ao seu anseio.