28 de maio de 2011


Completamente inesperado
admiro seus olhos marejados
refletindo meu sorriso da descoberta.
Sua mão toca a minha de relance
meu corpo grita... arrepiado
Trêmula me aproximo um pouco mais
sinto o cheiro da sua respiração.
De repente o mundo para...a música para, onde estamos?
Nesse outro mundo...
Imagino o outono e as flores caindo
enfeitando o nosso caminho, antes mesmo de alcançarmos esse destino
desconhecido, querido, quem somos nós?
além de um imenso desejo pelo bem um do outro
a vontade de outra vida, outra sorte, outro gosto...único.
Se apenas uma vez foi suficiente...o que será de nós uma vida inteira?
Tantas perguntas ainda me faltam fazer, mas essa infantil certeza
que sempre me gabei não ter
me condena a só querer-te mais e mais
e a temer o abrir dos olhos ... após o lindo sonho.

20 de maio de 2011

...Chuva!

A culpa é do seu olhar...
ele me desconcerta, me rubra a pele do rosto, me faz desviar, devanear...
Depois de rodar a sala. Paro, num relance... penso nas infinitas possibilidades deste encontro.
Gosto!
Você bagunça tudo e eu vou.... seguro a vontade de tocar você, colocar minha mão na sua...deitar no seu colo, ser sua menina!
Me lembro com sorriso da sua forma direta, se expõe e me deixa com vontade de ficar...
mais um minuto, uma hora, uma vida, sob esse olhar.